Muitos profissionais de Recursos Humanos passaram a se preocupar, nos últimos anos, em tentar reduzir os efeitos do chamado viés inconsciente. O conceito diz respeito às possíveis interferências causadas num processo de seleção pela visão de mundo e pela história de vida da pessoa responsável pelo recrutamento. Trata-se de um método que tira a importância de atributos formais do currículo, como a universidade em que o candidato ou a candidata estudou, considerados cada vez menos relevantes para prever o sucesso de um profissional dentro de uma corporação. Confira no vídeo:

View this post on Instagram

THE VOICE DA CONTRATAÇÃO 💼 Muitos profissionais de Recursos Humanos passaram a se preocupar, nos últimos anos, em tentar reduzir os efeitos do chamado viés inconsciente, pré-julgamentos que os recrutadores podem fazer por conta de preconceitos arraigados na sociedade e da própria história de vida. ⠀ Trata-se de um método que tira a importância de atributos formais do currículo, como a universidade em que o candidato ou a candidata estudou, considerados cada vez menos relevantes para prever o sucesso de um profissional dentro de uma corporação. ⠀ Acredita-se que a seleção às cegas ajuda a chegar mais perto da essência e do potencial dos candidatos. . . . ⠀ #6minutos #jornalismo #news #noticia #instagram #insta #video #contratação #trabalho #mercadodetrabalho #entrevista

A post shared by 6 Minutos (@6minutos) on

Leia também: Contra viés e preconceito, processo seletivo de emprego adota estratégia do The Voice

Siga o 6 Minutos nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram, LinkedIn e Youtube

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.