O comportamento de compra do consumidor da América Latina parece ter voltado ao normal depois do desespero inicial para abastecer a casa e sobreviver à quarentena. Esse consumo desenfreado aconteceu nas semanas e 9 a 22 de março, segundo estudo da Nielsen na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. Mas esse comportamento estoquista parece ter chegado ao fim: as pessoas passaram a comprar quantidades mais próximas do que costumavam a partir da semana de 23 a 29 de março.

Mas essa normalidade acontece de forma igual em toda América Latina? Não. No Brasil, Chile e Colômbia, as vendas de alimentos começaram a cair a partir de 23 de março. Mas continuam em alta na Argentina, México e Peru (veja abaixo):

  • Chile: -15%
  • Colômbia -5%
  • Brasil: -1%
  • Peru: 11%
  • México: 22%
  • Argentina: 57%

Foi só a venda de alimentos que se comportou de forma diferente? Não. Também difere o consumo de itens de giro rápido, como itens de higiene pessoal e limpeza:

  • Chile: -16%
  • Brasil: -5%
  • Colômbia -2%
  • Peru: 4%
  • México: 19%
  • Argentina: 55%

Como está o consumo de álcool e gel? Esse consumo só teve queda de consumo no Brasil e Colômbia. Nos demais países, houve explosão de vendas:

  • Brasil: -12%
  • Colômbia -10%
  • México: 3%
  • Chile: 10%
  • Argentina: 54%
  • Peru: 1.120%

A pesquisa captou mais algum detalhe interessante? Sim. A procura por alimento de preparo rápido aumentou em quatro países:

  • Argentina: 76%
  • México: 39%
  • Peru: 38%
  • Colômbia: 18%
  • Brasil: 7%

Como está a pandemia de coronavírus nesses países? Veja abaixo o total de casos nos países* analisados pela Nielsen:

  • Brasil: 33.682/2.141 mortos
  • Peru: 12.491 casos/274 mortos
  • Chile: 9.252 casos/116 mortos
  • Colômbia 3.233 casos/144 mortos
  • Argentina: 2.669 casos/122 mortos
  • México: 6.297 casos/486 mortos

*segundo dos de 17/04 do mapa em tempo real do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins

Dá para fazer alguma correlação entre o comportamento de compras e  o avanço do coronavírus? O que dá para verificar é que o consumidor brasileiro tem um comportamento de compra mais parecido com o do Chile e Colômbia, embora tenha muito mais casos confirmados de covid-19 que os outros países.

Segundo a Nielsen, os consumidores desses países estão no estágio 5 de consumo durante a pandemia, chamado de vida restrita. Nesta etapa, como as visitas ao ponto de venda são restringidas, portanto há preocupação com a possibilidade de substituição de produtos esgotados e um possível aumento de preços.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).