Por Jahnavi Nidumolu e Aakriti Bhalla

(Reuters) – O YouTube informou que retirou os canais oficiais do cantor de R&B R. Kelly de sua plataforma de vídeo, distanciando-se do artista condenado por tráfico sexual no mês passado.

Um júri federal considerou R. Kelly culpado no julgamento, durante o qual procuradores acusaram o cantor de explorar o estrelato durante um quarto de século para atrair mulheres e garotas menores de idade para sua órbita visando o sexo.

Dois de seus canais, RKellyTV e RKellyVevo, foram retirados de uma das maiores plataformas de vídeo do mundo, e o artista não poderá mais criar ou ser dono de nenhum outro canal de YouTube, disse a empresa na noite de segunda-feira.

O catálogo de sua música, porém, continuará disponível no YouTube Music, serviço de streaming de áudio do YouTube, e os clipes publicados por outros usuários da plataforma continuarão disponíveis.

“Podemos confirmar que encerramos dois canais ligados a R. Kelly, de acordo com nossas diretrizes de responsabilidade de criador”, disse um porta-voz do YouTube à Reuters.

Contatadas fora do horário comercial dos Estados Unidos, Spotify, Apple e Amazon não responderam de imediato a pedidos de comentário da Reuters sobre se adotarão ações semelhantes em relação às músicas de R. Kelly disponíveis em suas plataformas.

Kelly enfrenta uma pena de prisão mínima obrigatória de 10 anos e pode pegar até prisão perpétua em uma audiência de atribuição de pena marcada para 4 de maio de 2022.

(Por Jahnavi Nidumolu e Aakriti Bhalla em Bengaluru)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).