Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – Coordenador do Conselho Nacional da Amazônia, o vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira em sua primeira reunião do colegiado sem a presença do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles que “vai melhorar para todo mundo”.

Mourão foi questionado se a participação do novo ministro da pasta, Joaquim Leite, melhoraria os trabalhos.

“Nunca tive problema com o ministro Ricardo Salles –mas ele não aparecia– mas é uma situação que eu já enfrentava. O ministro Joaquim tem outra forma de agir, obviamente, cada um tem sua maneira de agir. Temos um relacionamento tranquilo, vai melhorar pra todo mundo”, afirmou.

Salles deixou o cargo na semana passada após ser alvo de dois inquéritos criminais no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre suspeita de favorecimento ilegal de madeireiros. O ex-ministro, que com a saída da pasta perdeu o a prerrogativa de foro junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), nega as acusações.

Mourão reconheceu que os dados divulgados na véspera pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que apontaram em junho 2.308 focos de queimada –frente a uma média histórica de 2,7 mil–, não são bons.

“Não é um número bom. Mas, a realidade é a seguinte, são nove pontos de queimada efetiva. O foco de calor não é uma queimada. Uma mera fogueira é um foco de calor identificado pelo satélite”, disse.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).