Por Stephen Nellis

(Reuters) – A TSMC (Taiwan Semiconductor Manufacturing) avalia injetar dezenas de bilhões de dólares a mais em fábricas de chips de ponta no Arizona, Estados Unidos. Mas não há perspectivas de uma fábrica avançada na Europa, disseram à Reuters pessoas familiarizadas com o assunto.

A taiwanesa é a fabricante de chips mais avançada do mundo, e seus planos estão sendo observados de perto em meio à escassez global de chips e novas iniciativas nos EUA e na Europa para subsidiar a produção de semicondutores. A TSMC anunciou no ano passado que vai investir de 10 a 12 bilhões de dólares para montar uma fábrica de chips em Phoenix.

A Reuters publico neste mês que a fábrica divulgada antes pela empresa pode ser a primeira de até seis instalações no local. Executivos da empresa discutem se a próxima fábrica deve ser mais avançada, capaz de produzir chips com a tecnologia de fabricação de 3 nanômetros, mais rápida e mais eficiente que a tecnologia de 5 nanômetros usada na primeira fábrica.

Uma instalação mais avançada, que produz tecnologia de 3 nanômetros, pode custar de 23 a 25 bilhões de dólares, disse uma pessoa familiarizada com o assunto à Reuters.

Funcionários da empresa também traçaram planos para que a TSMC produza a próxima geração de 2 nanômetros e chips menores, à medida que o campus de Phoenix for construído nos próximos 10 a 15 anos, disse a fonte.

Com essas fábricas, a TSMC provavelmente competirá com Intel e Samsung por subsídios. O presidente dos EUA, Joe Biden, pediu 50 bilhões de dólares para apoiar a fabricação doméstica de chips e o Senado dos EUA pode decidir sobre isso logo.

Alguns oficiais do governo dos EUA temem que os subsídios para a TSMC ajudem Taiwan, onde a empresa deve continuar conduzindo pesquisa e desenvolvimento, mais do que os EUA. Mas o plano de subsídio dos EUA não exclui empresas estrangeiras.

Discussões sobre como impulsionar a fabricação de chips também estão acontecendo na União Europeia. Um porta-voz da TSMC disse que a empresa não descartou nenhuma possibilidade, mas que não há planos para uma fábrica na Europa.

Muitos dos clientes mais lucrativos da TSMC estão nos EUA, enquanto sua base de clientes europeia é composta mais por montadoras, que compram chips menos avançados. No primeiro trimestre, clientes sediados na Europa e no Oriente Médio respondiam por só 6% da receita da TSMC, bem distante da América do Norte, com 67% das vendas, e da Ásia-Pacífico, com 17%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).