Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – Donald Trump, disse nesta quarta-feira que concedeu perdão total a um ex-engenheiro do Google, condenado por roubar segredos comerciais sobre carros autônomos meses antes de chefiar por um breve período a unidade rival da Uber Technologies.

Anthony Levandowski, 40, foi condenado em agosto a 18 meses de prisão após se confessar culpado em março. Ele não estava sob custódia, mas um juiz disse que ele poderia entrar em custódia assim que a pandemia de Covid-19 diminuísse.

A Casa Branca disse que Levandowski “pagou um preço significativo por suas ações e planos de dedicar seus talentos para promover o bem público”.

A Waymo, da Alphabet, uma unidade de tecnologia automotiva autônoma do Google, não quis comentar. A empresa anteriormente descreveu o crime de Levandowski como “uma traição” e sua sentença “uma vitória para as leis de segredo comercial”.

O perdão foi apoiado por vários líderes na indústria de tecnologia que apoiaram Trump, incluindo os investidores Peter Thiel e Blake Masters e o empresário Palmer Luckey, de acordo com a Casa Branca.

Levandowski transferiu mais de 14 mil arquivos do Google, incluindo cronogramas de desenvolvimento e designs de produtos, para seu laptop pessoal antes de sair da empresa e enquanto negociava uma nova função com a Uber.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753)) REUTERS AAJ

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).