Por Elvira Pollina e Agnieszka Flak

MILÃO (Reuters) – A Telecom Italia (TIM) manterá planos para atrair novos investidores e obter maior valor de seus ativos, disse seu presidente-executivo nesta quinta-feira, após o grupo cortar ainda mais sua previsão de lucro para 2021 devido à piora das condições no mercado interno.

A revisão, anunciada na noite de quarta-feira, segue um corte de julho e aumenta a pressão dos investidores sobre Luigi Gubitosi, presidente do maior grupo de telecomunicações da Itália, que conquistou um segundo mandato em fevereiro.

Uma fonte próxima ao principal investidor da TIM, Vivendi, que apoiou a recondução de Gubitosi em fevereiro, disse que a empresa de mídia francesa seguirá comprometida com a TIM, apesar dos resultados decepcionantes do grupo.

As ações da TIM fecharam 5,7% euros nesta quinta. A ação perdeu 12% desde o início do ano ante alta de 21% no índice blue de blue chips de Milão.

Analistas do Banca Akros disseram que o corte das previsões, embora não seja totalmente inesperado, “sinaliza um cenário difícil e irá desencadear novos rebaixamentos nas estimativas”.

A TIM disse que seu conselho discutiu a possível reorganização dos negócios para obter maior valor dos ativos e pediu a Gubitosi para continuar estudando opções.

“O que recebi ontem foi um incentivo para continuar a exploração e, em seguida, relatar as oportunidades que temos”, disse Gubitosi em teleconferência com analistas.

A venda de uma fatia minoritária em sua unidade de nuvem Noovle poderia ocorrer no segundo semestre de 2022, disse Gubitosi, acrescentando que um plano de negócios futuro seria “mais rigoroso” em custos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).