Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) – A plataforma online de itens de supermercado Shopper anunciou nesta terça-feira que recebeu um aporte de 120 milhões de reais de investidores estrangeiros cujos nomes não foram revelados.

Fundada em 2015, a Shopper usa o modelo de compras programadas, com clientes montando suas cestas e escolhendo o dia de entrega.

A empresa compra os itens direto de fabricantes, poupando custos com estoques e perdas de produtos por validade. A logística é toda feita pela companhia desde a compra dos fabricantes até a operação do centro de distribuição e entregas.

Com cerca de 250 mil pessoas cadastradas na plataforma, a companhia opera em 22 cidades no Estado de São Paulo. Até dezembro, o número deve subir para ao menos 60 municípios. 

Em nota, o presidente e cofundador da Shopper, Fábio Rodas, afirmou que a startup planeja usar os recursos da captação para dobrar a base de funcionários para 1.000 até o fim do ano e para lançar novas tecnologias, fazer aquisições e expandir sua prateleira e atuação geográfica.

O anúncio ocorre no momento em que gigantes do comércio eletrônico no país, incluindo Magazine Luiza, Via Varejo e Mercado Livre, se movimentam para incluir itens de supermercados em suas plataformas como um meio de ampliar a recorrência dos clientes em seus marketplaces.

Simultaneamente, grandes redes supermercadistas do país, incluindo GPA e Carrefour Brasil, também têm ampliado investimentos em vendas online, segmento que ganhou impulso desde o ano passado, na esteira das medidas de isolamento social para tentar conter a pandemia da Covid-19.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).