O orçamento previsto pelo Pentágono para o desenvolvimento do novo F-35 não será suficiente para pagar as despesas do projeto nos próximos cinco anos. O rombo é estimado em US $ 10 bilhões no período, e especula-se que o supercaça pode ser muito caro para manter e operar.

O orçamento original do Departamento de Defesa previa US$ 78 bilhões para pesquisa e desenvolvimento, aquisição, operações, manutenção e construção militar dedicada ao novíssimo F-35 até 2025. Mas uma reavaliação de custos estima que serão necessários US$ 88 bilhões.

O déficit foi apresentado em documento confidencial obtido pela Bloomberg News.

Supercomputador voador

O custo total do “ciclo de vida” do F-35 é estimado em US$ 1,727 trilhão em valores atuais. Desse total, US$ 1,266 trilhão são para operações e suporte do avião, considerado por muitos um supercomputador voador.

“Como os números de cinco anos são estimativas, não temos uma resposta oficial ainda”, disse Brandi Schiff, porta-voz do escritório do programa F-35 do Departamento de Defesa.

O déficit projetado é “um problema a ser resolvido” durante a preparação do próximo plano de orçamento de defesa de cinco anos, disse o porta-voz do Pentágono Chris Sherwood por e-mail. “O departamento tem uma gama de opções em relação ao programa F-35 e irá considerar essas questões.”

Ele acrescentou que a despesa maior não se deve a qualquer grande aumento esperado no custo unitário da aeronave. Na verdade, o escritório de análise de custos projeta que o custo médio de aquisição de um F-35, incluindo seus motores, está caindo de US$ 109 milhões para US$ 101,3 milhões. Por outro lado, os custos estimados de suporte depois que os aviões são construídos aumentaram cerca de 7% em relação à estimativa de 2012.

“Os custos dos programas F-35 estão mais uma vez crescendo mais rápido do que o esperado”, disse Todd Harrison, analista de orçamento de defesa do Center for Strategic and International Studies. Ele ressalta “que o Departamento de Defesa enfrentará sérios desafios orçamentários nos próximos quatro anos, independentemente de quem ganhar a Casa Branca”.

Byron Callan, diretor administrativo e analista de defesa da Capital Alpha Partners, disse “algo terá que acontecer. Se a estimativa estiver correta, o Departamento de Defesa pode ter que encontrar financiamento de outros programas ou cortar suas compras do F-35.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.