Por Luis Jaime Acosta

BOGOTÁ (Reuters) – O Twitter suspendeu contas associadas a dissidentes das desmobilizadas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), depois de a polícia colombiana reclamar que estavam sendo usadas para incentivar violência, e o Facebook afirmou que também retirou conteúdo relacionado de sua plataforma.

As contas de Twitter do ex-líder das Farc Iván Márquez e outra controlada por dissidentes que rejeitaram o acordo de paz das Farc de 2016 com o governo da Colômbia agora mostram a mensagem “Conta suspensa. O Twitter suspende contas que violam as regras do Twitter”.

A conta do ex-líder das Farc Jesús Santrich também foi suspensa.

O Twitter não estava imediatamente disponível para comentar.

O Facebook recentemente retirou do ar conteúdo relacionado a dissidentes das Farc, identificado pelos seus moderadores, afirmou a rede social à Reuters pelo WhatsApp.

“Continuaremos a tomar providências de acordo com os padrões da nossa comunidade e organizações políticas perigosas”, disse umaa porta-voz.

A medida acontece em meio a ações contra contas de redes sociais acusadas de incitar a violência. O Twitter e o Facebook travaram permanentemente a conta do presidente norte-americano Donald Trump, semana passada, citando o risco de mais violência após seus apoiadores invadirem o Congresso.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).