SÃO PAULO (Reuters) – A Sigma Lithium, produtora de lítio, insumo usado na produção de baterias para veículos elétricos, passará a ter ações negociadas na Nasdaq a partir de 13 de setembro, buscando o mesmo mercado onde já são listadas rivais no setor.

Já listada na Bolsa de Toronto, Canadá, país onde tem sua sede administrativa, a companhia tem suas operações de extração de lítio na Grota do Cirilo, no Vale do Jequitinhonha (MG) com uma planta piloto. A produção comercial deve começar em 2022, produzindo cerca de 220 mil toneladas de concentrado de lítio.

Segundo Ana Cabral-Gardner, sócia-diretora da firma de investimentos A10, que controla o projeto, o objetivo é ter cerca de 45% das ações da Sigma na Nasdaq.

“Percebemos que listar em bolsa nos Estados era de interesse dos nossos acionistas”, disse ela à Reuters, citando empresas do setor como Livent, Lithium Americas já são listadas na Nasdaq, referência para investidores que acompanham a rápida expansão na cadeia de insumos e produtos para veículos movidos a eletricidade.

(Por Aluísio Alves)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).