Por Marco Trujillo e Guillermo Martinez

MADRI (Reuters) – O astro de ópera espanhol Plácido Domingo foi homenageado com um prêmio no Teatro Real de Madri nesta quinta-feira, um dia depois de ser aplaudido de pé por sua primeira apresentação em sua terra natal desde que um sindicato disse que ele assediava mulheres rotineiramente.

No ano passado, a Espanha cancelou apresentações planejadas de Domingo em teatros com financiamento estatal, e o cantor desistiu de concertos depois que uma investigação do Sindicato Americano de Artistas Musicais concluiu que ele se comportou inadequadamente com artistas femininas.

Mais de três dúzias de cantores, dançarinos, músicos, instrutores de canto e funcionários de bastidores disseram ter testemunhado ou sido alvo de comportamento inadequado ao longo das últimas três décadas.

Instituições norte-americanas, como a Ópera Metropolitana de Nova York e a Ópera de San Francisco, cancelaram compromissos planejados com Domingo, e ele renunciou ao cargo de diretor-geral da Ópera de Los Angeles.

Domingo se desculpou por ter constrangido colegas, mas nega ter se comportado agressivamente ou agido para prejudicar a carreira de colegas de palco. Nenhuma acusação formal foi apresentada contra ele.

Sua volta a Madri na quarta-feira para um concerto de caridade de apoio à Cruz Vermelha atraiu uma grande plateia, incluindo a líder regional Isabel Díaz Ayuso, que disse ser “motivo de orgulho” o cantor ter voltado à Espanha.

“Senti uma emoção grande, é a minha cidade, a grande cidade de Madri… depois de cantar na noite passada… foi uma noite muito especial, sinto que tenho toda a força”, disse Domingo.

(Reportagem adicional de Nathan Allen, Elena Rodriguez e Inti Landauro)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).