Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – Legisladores dos Estados Unidos estão pressionando por um financiamento de dezenas de bilhões de dólares voltado ao estímulo a veículos elétricos em oposição aos movidos por combustão, além de verba para construção de centenas de milhares de estações de recarga de baterias.

Os deputados Andy Levin e Alexandria Ocasio-Cortez divulgaram nesta quarta-feira uma versão revisada de seu projeto de lei, apelidado de “Lei pela Liberdade dos Veículos Elétricos”, que pretende criar uma rede de estações de recarga de alta velocidade em cinco anos ao longo das vias públicas do sistema nacional rodoviário nos Estados Unidos.

Os democratas da Câmara dos Deputados dos EUA propuseram uma versão do projeto no ano passado, enquanto Donald Trump ainda atuava como presidente do país e apoiava o fim dos subsídios para a compra de veículos elétricos. Levin disse em uma entrevista que “tudo mudou” no impulso aos elétricos com a saída de Trump da Casa Branca.

O presidente Joe Biden pediu 174 bilhões de dólares em novos estímulos a veículos elétricos, incluindo 15 bilhões de dólares para a construção e manutenção de uma rede nacional de recarga de baterias com 500 mil estações até 2030. “Temos um presidente que fez campanha para instalar 500 mil carregadores (de veículos elétricos)”, disse Levin.

Um júri do Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos EUA está realizando uma audiência nesta quarta-feira a respeito de várias partes da legislação, para conseguir impulsionar veículos elétricos e estações de recarga.

Biden enfrenta pressão de muitos legisladores e de 12 Estados norte-americanos liderados pela Califórnia para aprovar o fim da venda de novos veículos movidos a gasolina até 2035, algo que a Califórnia planeja fazer. Biden não apoiou uma data de eliminação gradual.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).