TÓQUIO (Reuters) – A Panasonic vendeu sua participação na fabricante de carros elétricos Tesla por cerca de 400 bilhões de ienes (US$ 3,61 bilhões) no ano fiscal encerrado em março, disse um porta-voz da empresa japonesa na sexta-feira (25).

A venda ocorre no momento em que o grupo que produz de secadores de cabelo bicicletas busca reduzir sua dependência da Tesla e levantar dinheiro para investir em crescimento.

O negócio de baterias da Panasonic é dominado pela Tesla, mas as empresas já tiveram um relacionamento tenso.

A Panasonic comprou 1,4 milhão de ações da Tesla por US$ 21,15 cada em 2010 por cerca de US$ 30 milhões. Essa participação valia US$ 730 milhões no fim de março passado, com as ações subindo quase sete vezes no período.

“O impacto dos ativos criptográficos pode ter empurrado o preço das ações da Tesla acima de seu valor intrínseco, tornando-o um bom momento para vender”, disse Hideki Yasuda, analista do Ace Research Institute.

O presidente da Tesla, Elon Musk, disse em fevereiro que sua empresa comprou bitcoin e aceitaria o pagamento na criptomoeda, decisão que ele mais tarde reverteu, e seus comentários no Twitter geram oscilações no preço desses ativos.

Embora a Panasonic tenha dado apoio financeiro à Tesla quando ela era menor, a expansão da montadora significa que não há necessidade de laços de capital, acrescentou Yasuda.

A venda da participação não afetará a parceria com a Tesla, disse o porta-voz da Panasonic, e refletiu uma revisão das participações em linha com diretrizes de governança corporativa.

A Tesla fechou acordos com a LG Energy da Coreia do Sul, a unidade da LG Chem e a chinesa CATL, com a Reuters relatando que a última está planejando uma fábrica em Xangai, perto da base de produção da montadora.

A Panasonic disse no início deste ano que comprará as ações da empresa de software de cadeia de suprimentos Blue Yonder que ainda não possui, num negócio de US$ 7,1 bilhões.

(Por Chang-Ran Kim, Tim Kelly, Sam Nussey e Shinji Kitamura)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).