A possibilidade de transferir dinheiro para outras pessoas e pagar compras pelo WhatsApp promete facilitar muito a vida financeira dos brasileiros. O WhatsApp anunciou ontem que o Brasil será o primeiro país a contar com essa ferramenta de pagamentos.

Apesar da facilidade, a utilização dessa ferramenta exige alguns cuidados por parte dos usuários. Tiago Zaidan, professor do curso de aplicações blockchain do IGTI (Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação), diz que as precauções são as mesmas que já deveriam ser tomadas antes da novidade.

“É o mesmo tipo de atenção que já existia antes, pois golpes pelo WhatsApp e clonagem de contas já aconteciam antes de ser possível fazer pagamento pelo aplicativo”, disse Zaidan.

E que cuidados são esses? O professor disse que são medidas muito simples:

Certifique-se de que está transferindo para a pessoa certa

“É preciso ter certeza que aquela pessoa ou loja são aquelas para quais você deseja fazer um pagamento”, diz Zaidan.

Desconfie de cobranças ou pedidos de transferência

“Muita gente já caiu em golpes de pessoas pedindo dinheiro. Mas eram golpistas que hackearam um número de WhatsApp e tiveram acesso à lista de contatos da pessoa. Aqui o cuidado é o mesmo”, afirma Zaidan.

Segundo ele, o ideal é que o contato parta da pessoa que deseja fazer o pagamento, e não de quem vai receber. “O consumidor é que deve procurar o WhatsApp da empresa.”

Zadan conta o caso de um celular de um nutricionista que foi hackeado. “O golpista passou mensagem para todos os contatos pedindo uma transferência para pagar a próxima consulta. A forma de se precaver é sempre estranhar se uma loja, um tio ou primo pedir uma transferência do nada.”

Mas há cuidados tecnológicos que precisam ser tomados para minimizar os riscos.

A Cielo diz que, em eventual causo de fraude, dispõe de “mecanismos de segurança para bloquear as transações suspeitas até que a situação do usuário seja analisada especificamente pela equipe dedicada ao monitoramento”. Veja dicas de segurança da Cielo:

  • Não compartilhe o código de confirmação do WhatsApp, o PIN do Facebook Pay ou o código de verificação com ninguém.
  • Se receber uma mensagem que pareça suspeita, bloqueie e denuncie o número de telefone. Para isso, abra a conversa e toque em Bloquear > Denunciar e bloquear;
  • Ative o bloqueio por impressão digital, Touch ID ou Face ID no aparelho. Após configurar essa opção, é preciso desbloquear o app toda vez que abri-lo;
  • Defina uma senha segura para a tela de bloqueio do aparelho.
  • Ative a confirmação em duas etapas no WhatsApp. Ao ativar a confirmação em duas etapas, o usuário precisará digitar o PIN de seis dígitos toda vez que quiser confirmar seu número no WhatsApp (por exemplo, ao mudar de aparelho).

 

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).