(Reuters) – A Universidade de Oxford informou nesta quinta-feira que estava investigando uma invasão digital depois que um pesquisador disse ter visto evidências de que um laboratório que conduz pesquisa sobre a Covid-19 foi hackeado.

A violação ocorreu em meados de fevereiro e na Divisão de Biologia Estrutural, conhecida como Strubi, que vem realizando pesquisas sobre a Covid-19, segundo Alex Holden, fundador da Hold Security, com sede em Wisconsin.

Strubi é uma divisão distinta do Instituto Jenner, que desenvolve a vacina da Oxford contra Covid-19 em parceria com a AstraZeneca.

A Universidade de Oxford confirmou que houve uma invasão hacker e, em um comunicado por e-mail, disse que estava investigando.

“Identificamos o problema e agora estamos investigando mais profundamente. Não houve impacto em nenhuma pesquisa clínica, já que esta não é conduzida na área afetada”, disse um porta-voz de Oxford, acrescentando que a universidade estava trabalhando com o National Cyber Security Centre (NCSC) sobre o incidente.

(Reportagem de Bhargav Acharya e Derek Francis em Bengaluru)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).