Por Anirban Sen e Carolina Mandl

BANGALORE/SÃO PAULO (Reuters) – O banco digital Nubank está buscando uma avaliação em sua planejada oferta inicial de ações (IPO) nos Estados Unidos que o colocaria acima dos 55,4 bilhões de dólares do Itaú Unibanco, disseram duas fontes familiarizadas com o assunto.

Em uma recente rodada de financiamento liderada pela Berkshire Hathaway de Warren Buffett, o Nubank foi avaliado em 30 bilhões de dólares.

Se o Nubank, com 40 milhões de clientes, for listado com valor superior ao do Itaú Unibanco, entrará no time das maiores fintechs do mundo, superando a Robinhood, por exemplo.

Uma fonte disse que nas últimas semanas executivos do Nubank pediram avaliação de até 100 bilhões de dólares. Mas uma fonte disse que a empresa dificilmente atingirá esse valor no IPO.

O Nubank não quis comentar sobre a avaliação esperada.

O banco digital fechou 2020 com prejuízo de 230 milhões de reais e uma carteira de empréstimos de cerca de 18 bilhões de reais. No primeiro trimestre, obteve lucro líquido de 6,8 milhões de reais, segundo o Banco Central.

No ano passado, o Itaú teve lucro de 18,5 bilhões de reais, e retorno sobre o patrimônio líquido de 14,5%. Sua carteira de empréstimos somava 870 bilhões de reais.

Num sinal de potencial de crescimento, o Nubank já emitiu mais cartões de débito do que o Itaú, atraindo clientes que evitam contas bancárias tradicionais. O Nubank também iniciou uma expansão regional, abrangendo o México e a Colômbia.

Segundo ranking da CBInsights, o Nubank é a sétima fintech mais valiosa do mundo, atrás de Stripe, Klarna e Revolut.

O Nubank contratou Morgan Stanley, Goldman Sachs e Citigroup para ajudar a liderar o IPO nos Estados Unidos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).