Por Zoey Zhang e Julie Zhu e Stephen Nellis e Tim Kelly

XANGAI/HONG KONG (Reuters) – As negociações da Apple com as chinesas CATL e BYD sobre fornecimento de bateria para produção de veículos elétricos foram em grande parte paralisadas depois que eles se recusaram a formar equipes e construir fábricas nos Estados Unidos que atenderiam exclusivamente a companhia norte-americana, disseram três fontes.

As empresas informaram à Apple em algum momento nos últimos dois meses que não eram capazes de atender aos seus requisitos, disseram as fontes. Mas a empresa norte-americana não perdeu a esperança de retomar as negociações com CATL ou BYD, de acordo com uma fonte.

A CATL, maior fabricante de baterias para veículos elétricos do mundo, tem relutado em construir uma fábrica nos EUA devido às tensões políticas entre Washington e Pequim, bem como preocupações com os custos, disse uma das fontes com conhecimento direto das negociações.

A empresa chinesa também descobriu que é impossível formar uma equipe separada de desenvolvimento de produtos que trabalhe exclusivamente com a Apple devido à dificuldades em encontrar pessoal suficiente, acrescentou a fonte.

A BYD, que tem uma fábrica de baterias de fosfato de ferro na Califórnia, se recusou a construir uma nova fábrica e contratar uma equipe que se concentraria exclusivamente no fornecimento para a Apple, disseram duas das fontes.

As discussões paralisadas significam que a Apple está considerando os fabricantes japoneses de baterias. A companhia norte-americana enviou uma equipe ao Japão neste mês, acrescentaram as fontes.

A Panasonic é uma das empresas que a Apple está considerando, disse uma das fontes.

Representantes de Apple, BYD e Panasonic não quiseram comentar o assunto . A CATL disse em um comunicado à Reuters que nega “as informações relevantes”.

Fontes afirmaram à Reuters no ano passado que a Apple queria lançar um veículo elétrico até 2024.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).