Por Supantha Mukherjee

ESTOLCOMO (Reuters) – A sueca Ericsson relatou lucro do terceiro trimestre acima das estimativas nesta terça-feira, uma vez que as fortes vendas de equipamentos 5G na maior parte do mundo compensaram a perda de participação de mercado na China continental e os problemas da cadeia de abastecimento global.

A Suécia proibiu a chinesa Huawei de vender equipamentos 5G no país há um ano e a Ericsson desde então perdeu grande parte de sua participação nas últimas rodadas de licitações de telecomunicações na China.

A proporção da receita que a Ericsson obtém da China caiu para cerca de 3% do total, de 10% a 11%, disse o diretor financeiro Carl Mellander, mas a Ericsson preencheu as lacunas deixadas pela Huawei em vários países diante de pressão do governo dos EUA.

As vendas na China caíram 3,6 bilhões de coroas suecas (418,1 milhões de dólares) no terceiro trimestre e a empresa planeja redesenhar sua organização de vendas e entregas no país.

A Ericsson, rival da Nokia, também disse que os problemas da cadeia de suprimentos global começaram a piorar.

“No final do terceiro trimestre, experimentamos algum impacto nas vendas com alterações na cadeia de abastecimento e esses problemas continuarão a representar um risco”, disse o presidente-executivo, Börje Ekholm, em comunicado.

A empresa não foi capaz de entregar determinados hardwares para seus clientes devido à falta de chips, além de problemas de logística, levando a uma queda na receita, disse Mellander.

O lucro trimestral ajustado subiu para 8,8 bilhões de coroas suecas (1,02 bilhão de dólares) de 8,6 bilhões um ano atrás, superando a previsão média de 7,85 bilhões, de acordo com estimativas de analistas, segundo a Refinitiv.

Assegurar contratos 5G de todas as três empresas de telecomunicações dos EUA – Verizon, AT&T e T-Mobile – ajudou a empresa a absorver as perdas na China.

A receita total caiu 2%, para 56,3 bilhões de coroas, abaixo dos 58,14 bilhões de coroas previstos pelos analistas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).