Por Giulio Piovaccari e Giuseppe Fonte

MILÃO/ROMA (Reuters) – Roma está traçando uma oferta para tentar convencer a Intel a investir bilhões de euros em uma fábrica avançada de chips na Itália, enquanto a Alemanha está na dianteira para conseguir a instalação de uma mega fábrica ainda maior planejada pela empresa norte-americana, disseram três fontes.

As fábricas seriam parte de um esforço da Intel para ter capacidade de manufatura de ponta na Europa para ajudar a evitar futuras crises na oferta de chips que atualmente atinge uma série de setores, com destaque para o automotivo. Roma já está em negociações com a Intel sobre um potencial investimento, que de acordo com estimativas preliminares seria de mais de 4 bilhões de euros (4,7 bilhões de dólares), disseram as fontes envolvidas nas discussões. Uma delas disse que o total pode chegar a cerca de 8 bilhões de euros, dependendo dos planos da Intel.

A fábrica criará mais de 1.000 empregos diretos na Itália, acrescentaram.

“O governo está preparando uma oferta muito detalhada com o objetivo de fechar um acordo até o final do ano”, disse uma das fontes à Reuters.

“As discussões com a Intel estão em estágio avançado. Não há acordo ainda, mas se o governo trabalhar duro nisso, terá uma boa chance de trazer a fábrica para a Itália.”

Os locais potenciais incluem a área de Mirafiori em Turim, onde fica a sede italiana da montadora Stellantis, e Catania, na Sicília, onde a fabricante de chips franco-italiana STMicroelectronics já opera, disseram as fontes.

A Intel não quis comentar sobre seus planos.

O maior projeto do grupo dos EUA na Europa é uma mega fábrica planejada em Dresden, na Alemanha. O local surgiu como candidato, disseram as fontes, que não estão diretamente envolvidos nas conversas sobre a escolha do local para o empreendimento.

Nenhuma decisão final foi tomada para qualquer local e os planos podem mudar nas próximas semanas, disseram as fontes.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).