BANGALORE, Índia (Reuters) – A Intel previu nesta quinta-feira receita e lucro do primeiro trimestre acima das expectativas de Wall Street, continuando a se beneficiar da alta demanda por laptops, PCs e servidores gerada pelas medidas de isolamento social.

A Intel disse que as vendas de chips para PCs no quarto trimestre somaram 10,9 bilhões de dólares, ante estimativas de analistas de 9,57 bilhões, de acordo com dados da FactSet. As vendas do grupo de data centers, que impulsionaram o crescimento da Intel nos últimos anos, foram de 6,1 bilhões de dólares, em comparação com estimativas de analistas de 5,48 bilhões.

A Intel, por décadas a maior fabricante de chips de computação para data centers e PCs, enfrenta atrasos tecnológicos em suas fábricas e disse em julho que avalia se vai terceirizar mais de sua linha de produtos de 2023.

A empresa nomeou na semana passada Pat Gelsinger como seu novo presidente-executivo a partir de 15 de fevereiro e não deu previsão de vendas para o ano inteiro como costuma fazer.

A Intel é uma das poucas empresas de semicondutores que ainda projeta e fabrica seus próprios produtos, com rivais como AMD há muito tempo usando empresas terceirizadas como a Taiwan Semiconductor Manufacturing para fazer seus chips.

Após enfrentar atrasos na fabricação de chips de 10 nanômetros, a Intel perdeu a liderança na fabricação dos menores chips com maior eficiência energética para a TSMC e Samsung. Analistas avaliam que os reveses podem fazer essa lacuna persistir por muitos anos.

A fabricante de chips disse que espera vendas ajustadas de 17,5 bilhões de dólares e lucro ajustado por ação de 1,10 dólar, ante estimativas médias dos analistas de 16,06 bilhões e 93 centavos por ação, de acordo com dados da Refinitiv.

A empresa registrou receita de 20 bilhões de dólares no quarto trimestre, superando as estimativas de 17,5 bilhões.

(Por Ayanti Bera)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).