SÃO PAULO (Reuters) – Diante de uma crise hídrica, o governo trabalha para eliminar riscos para a oferta de energia em 2022, e as ações incluem medidas que não onerem o consumidor, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, nesta quarta-feira.

Segundo ele, o objetivo é que o Brasil tenha ao final do ano melhores condições de operação do sistema elétrico.

O movimento busca que país não tenha em 2022 bandeira tarifária vermelha –atualmente em vigor, o que eleva os custos dos consumidores.

Em audiência em comissão da Câmara, Albuquerque ainda reiterou que o governo não trabalha com hipótese de racionamento compulsório de energia.

Questionado sobre a afirmação do diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, de que o valor cobrado na bandeira tarifária patamar 2 subirá para refletir o maior custo com a geração termelétrica, o ministro evitou falar, acrescentando que esta é uma atribuição da autarquia.

Albuquerque disse ainda que um eventual ajuste na bandeira tarifária deverá ser deliberado até o início da próxima semana pela agência reguladora.

Ele comentou também que o governo brasileiro trabalha “firmemente” para que a usina nuclear Angra 3 entre em operação em 2026, reafirmando projeção anterior.

(Por Roberto Samora)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).