O Google revelou nesta terça-feira sua nova linha de smartphones Pixel com câmeras de alta qualidade, sensor de radar e um assistente virtual mais rápido.

Pixel 4, smartphone do Google, é apresentado durante evento da empresa realizado em Nova York, nos EUA
Crédito: Jeenah Moon/Bloomberg

Havia a expectativa do lançamento de uma versão 5G do aparelho, mas a gigante de tecnologia norte-americana disse que durante os testes o novo Pixel “simplesmente não funcionava muito bem se árvores e edifícios atrapalhassem”.

Qual será o preço da nova linha? O Pixel de 4ª geração será vendido a partir de U$ 799 na versão com a tela de 5,7 polegadas, e US$ 899 com a tela de 6,3 polegadas, e pela primeira vez todas as quatro principais operadoras de telefonia móvel dos EUA oferecerão os smartphones a partir de 24 de outubro.

O Google não comercializa sua linha de smartphones no Brasil.

Quais são as maiores novidades? O conjunto de câmeras fotográficas do novo Pixel traz uma lente teleobjetiva, que permite registrar objetos que estão distantes do aparelho, e recursos de inteligência artificial no software de processamento de imagens que são capazes de tirar fotos nítidas do céu noturno estrelado.

Um novo recurso baseado na tecnologia de radar permite que o usuário adiante músicas, por exemplo, movendo as mãos sobre a tela. Além disso, o Google Assistant foi integrado ao dispositivo para reduzir o tempo de resposta das demandas por voz.

Você pode me dar um pouco mais de contexto? O Google começou a desenvolver hardwares há cerca de quatro anos, apostando que poderia introduzir inteligência artificial em dispositivos mais rápido e melhor do que os rivais e que os consumidores clamavam por esses recursos. A estratégia gerou resultados mistos.

Seus dispositivos de preço mais baixo têm sido os mais vendidos, mas estão longe de serem os principais impulsionadores de lucro. Dispositivos com preços mais altos, como os telefones Pixel, ganharam pouca força em relação aos líderes do setor, como a Samsung e a Apple devido ao marketing limitado.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.