Por Sheila Dang

(Reuters) – A publicidade global terá um crescimento maior do que o esperado em 2021, tendência que deve se estender no ano que vem, já que as marcas têm confiando mais em mecanismos de pesquisa e mídia social, como o Google e a Meta, para alcançar clientes, segundo previsões da indústria de publicidade divulgadas nesta segunda-feira.

Apesar do ano marcado por interrupções na cadeia de abastecimento, que atrasou a chegada de produtos às prateleiras, as marcas continuaram a anunciar online e promover o comércio eletrônico enquanto as compras nas lojas físicas demoraram para retornar devido à pandemia, disse Jonathan Barnard, diretor de inteligência global da empresa de publicidade Zenith.

A agência de publicidade GroupM prevê que os gastos com publicidade globais crescerão 22,5% em 2021 sobre o ano anterior, enquanto a Zenith estimou alta de 15,6%. Ambas as estimativas foram revisadas para cima.

Os gastos globais com publicidade devem crescer cerca de 9% em 2022, de acordo com os relatórios.

O movimento foi liderado por Google, Meta e Amazon, grandes vendedores de anúncios digitais e que agora respondem por mais da metade de todos os gastos com publicidade fora da China, um aumento próximo a 40% em 2019, disse a GroupM.

Essa forma de publicidade cresceu 47% neste ano, totalizando 77 bilhões de dólares, e deve crescer para 143 bilhões de dólares até 2024, de acordo com a Zenith.

Redes de mídia de varejo foram estabelecidas na China por mais de uma década, mas o crescimento em outros mercados foi notável, disse Barnard.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).