Por Stephen Nellis

(Reuters) – Alguns dos maiores compradores de chips do mundo, incluindo a Apple, a Microsoft e o Google, da Alphabet, estão se juntando aos principais fabricantes de chips, como a Intel, para criar um novo grupo de lobby e pressionar o governo por subsídios para a fabricação de chips.

A recém-formada Aliança por Semicondutores nos Estados Unidos, que também inclui a Amazon Web Services, da Amazon, disse nesta terça-feira que pediu aos parlamentares norte-americanos que financiem a o projeto de lei CHIPS for America – para a qual o presidente Joe Biden pediu ao Congresso um investimento de 50 bilhões de dólares.

“O financiamento robusto do CHIPS Act ajudaria os Estados Unidos a construir a capacidade adicional necessária para ter cadeias de abastecimento mais resilientes, garantindo que tecnologias críticas estarão disponíveis quando precisarmos delas”, disse o grupo em uma carta aos líderes democratas e republicanos de ambas as casas do Congresso dos EUA.

A escassez global de chips atingiu duramente as montadoras. A Ford até afirmou que poderia reduzir pela metade a produção do segundo trimestre. Grupos da indústria automotiva têm pressionado o governo Biden para garantir o fornecimento de chips para as fábricas de automóveis.

A nova aliança inclui algumas outras indústrias consumidoras de chips, com membros como AT&T, Cisco, General Electric, HPE e Verizon. Ela adverte contra ações do governo que favoreçam uma única indústria, como as montadoras.

“O governo deve abster-se de intervir enquanto a indústria trabalha para corrigir o atual desequilíbrio entre oferta e demanda que está causando a escassez”, disse o grupo.

Empresas de tecnologia também estão sendo atingidas pela escassez de chips, mas de forma bem menos severa do que as montadoras.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).