Por Diego Oré

(Reuters) – O primeiro caixa eletrônico de criptomoeda em Honduras estreou nesta semana. Investidores de bitcoin buscam estimular a demanda por ativos virtuais após El Salvador se tornar o primeiro país a estabelecer a bitcoin como moeda legal.

A máquina, batizada de “la bitcoinera”, permite que usuários comprem bitcoin e ethereum usando a moeda local lempira e foi instalada em um prédio de escritórios na capital Tegucigalpa pela empresa hondurenha TGU Consulting.

Juan Mayen, 28, executivo-chefe da TGU, liderou a operação para levar o caixa eletrônico a Honduras, na tentativa de educar as pessoas sobre ativos virtuais. Até agora, não havia maneira automatizada de comprar cripto-moedas, disse.

“Você tinha que fazer peer-to-peer, procurar alguém que estivesse disposto, encontrar com ele pessoalmente e carregar uma quantidade X de dinheiro, o que é muito inconveniente e perigoso dado o ambiente em Honduras”, disse.

Nesta sexta-feira, um ethereum era negociado por US$ 3.237, e um bitcoin, por US$ 48.140. Se o serviço for popular, Mayen disse que espera instalar mais unidades.

Para fazer uma compra, os usuários precisam escanear a identificação oficial e colocar dados pessoais.

Muitos desenvolvedores de software em Honduras já são pagos em criptomoedas, disse Mayen, acrescentando que também seria uma opção mais barata para enviar remessas.

Em 2020, hondurenhos no exterior – principalmente nos Estados Unidos – enviaram US$ 5,7 bilhões, cerca de 20% do produto interno bruto de Honduras (PIB) em remessas ao país.

O Congresso de El Salvador aprovou em junho uma proposta do presidente Nayub Bukele para tornar o país o primeiro do mundo a adotar a bitcoin como moeda legal.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).