Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – A Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos Estados Unidos revogou nesta terça-feira o aval da China Telecom para operar no país, citando preocupações de segurança nacional.

Maior empresa de telecomunicações chinesa, a China Telecom tem pode fornecer serviços de telecomunicações há quase 20 anos nos EUA. Agora, ela deve descontinuar os serviços em 60 dias.

A FCC em abril de 2020 havia alertado que poderia encerrar as operações americanas de três estatais de telecomunicações chinesas, citando riscos de segurança nacional, incluindo a China Telecom Americas, bem como a China Unicom Americas, Pacific e seus subsidiária integral ComNet (EUA).

“A decisão da FCC é decepcionante. Pretendemos buscar todas as opções disponíveis enquanto continuamos a servir nossos clientes”, disse um porta-voz da China Telecoms America.

Em maio de 2019, a FCC votou por unanimidade para negar a outra empresa estatal de telecomunicações chinesa, a China Mobile, o direito de fornecer serviços nos EUA.

Em 2020, a FCC designou Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional para redes de comunicações, declaração que impedia empresas americanas de recorrer a um fundo governamental de 8,3 bilhões de dólares para comprar equipamentos delas.

A FCC em dezembro exigiu que as operadoras com equipamentos ZTE ou Huawei “retirem e substituam” esse equipamento.

Em março, a FCC designou cinco empresas chinesas como ameaças à segurança nacional, incluindo Huawei, ZTE, Hytera, Hangzhou Hikvision e Zhejiang Dahua.

(Reportagem de David Shepardson)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).