Por Elizabeth Culliford e Nivedita Balu

NOVA YORK/BENGALURU (Reuters) – O Facebook anunciou nesta segunda-feira que vai começar a divulgar os dados financeiros de sua unidade de realidade virtual e aumentada, um anúncio feito no momento em que seus principais negócios de publicidade enfrentam “incertezas significativas”.

O Facebook alertou nesta segunda-feira que as novas regras de privacidade da Apple pesarão sobre seus negócios digitais no trimestre atual, depois que a empresa de mídia social relatou receita trimestral abaixo das expectativas do mercado.

O diretor financeiro, David Wehner, também disse que o Facebook espera que o investimento da empresa na divisão de hardware, Facebook Reality Labs, reduza o lucro operacional geral em 2021 em aproximadamente 10 bilhões de dólares.

O compromisso financeiro da maior empresa de mídia social do mundo para construir o que chama de “metaverso” ocorre no momento em que a empresa é inundada pela cobertura jornalística de documentos vazados pela ex-funcionária e denunciante Frances Haugen, que disse que a empresa escolheu o lucro em vez da segurança do usuário.

O presidente-executivo, Mark Zuckerberg, disse que o Facebook nos próximos anos será visto como uma empresa de “metaverso” em vez de uma companhia de mídia social, já que faz uma série de investimentos para expandir a tecnologia.

O metaverso, um termo cunhado pela primeira vez em um romance distópico três décadas atrás, atraiu muita atenção no Vale do Silício. O termo refere-se amplamente a um ambiente virtual compartilhado que pode ser acessado por pessoas usando diferentes dispositivos.

O Facebook, que investiu pesadamente em realidade virtual e realidade aumentada, incluindo a compra de empresas como a Oculus, este ano criou uma equipe para trabalhar no metaverso. Este mês, a companhia disse que planeja contratar 10 mil funcionários na Europa nos próximos cinco anos para trabalhar nesta iniciativa.

Wehner disse que a partir do quarto trimestre de 2021, o Facebook vai separar a FRL como um segmento separado da família de aplicativos do Facebook.

O Facebook disse que espera que a receita do quarto trimestre fique na faixa de 31,5 bilhões a 34 bilhões de dólares. Analistas previam receita de 34,84 bilhões, um salto de 24,1% sobre um ano antes, de acordo com dados da Refinitiv.

A receita do terceiro trimestre também enfrentou o impacto das regras de privacidade da Apple, que tornaram mais difícil para as marcas direcionarem e medirem seus anúncios no Facebook.

Os usuários ativos diários, uma métrica observada de perto por anunciantes e investidores, cresceram 6%, para 1,93 bilhão em relação ao ano anterior, correspondendo às expectativas do mercado.

A receita total da empresa, que consiste principalmente em vendas de anúncios, subiu para 29,01 bilhões de dólares no terceiro trimestre de 21,47 bilhões um ano antes. Analistas esperavam faturamento de 29,57 bilhões de dólares.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).