(Reuters) – O Facebook prometeu nesta quarta-feira investir pelo menos 1 bilhão de dólares no setor de notícias nos próximos três anos, dias após um impasse com o governo australiano sobre o pagamento a meios de comunicação por conteúdo.

O compromisso da rede social segue o investimento de 1 bilhão de dólares do Google no ano passado, conforme os gigantes da tecnologia estão sob escrutínio por causa de seu modelo de negócios e da proliferação de desinformação em sua plataforma.

O Facebook restaurou na terça-feira as páginas de notícias australianas, encerrando um ‘blecaute’ sem precedentes de uma semana após obter concessões do governo sobre uma proposta de lei que exigirá que os gigantes da tecnologia paguem às empresas de mídia tradicionais por seu conteúdo.

Em um blog que detalha sua versão, o Facebook disse que a proibição de notícias estava ligada a um mal-entendido da relação entre a empresa e os editores de notícias.

A empresa também reconheceu que alguns conteúdos não noticiosos foram inadvertidamente bloqueados quando proibiu todo o conteúdo noticioso.

O Facebook disse nesta quarta-feira que já investiu 600 milhões de dólares na indústria de notícias desde 2018.

A empresa de mídia social adicionou que está em negociações ativas com editores de notícias na Alemanha e na França para um acordo para pagar pelo conteúdo de seu produto de notícias.

(Reportagem de Ayanti Bera e Munsif Vengattil em Bangalore)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).