JOHANESBURGO (Reuters) – O Facebook e um grupo de companhias africanas e globais de telecomunicações vão incorporar mais quatro países ao projeto de construção do maior cabo submarino do mundo, ampliando o empreendimento na África mais cedo que o planejado.

A conectividade de internet será expandida para as ilhas Seicheles e Comores, Angola e levada para um novo ponto em terra no sudeste da Nigéria. Esta é uma adição ao recém-anunciado prolongamento para as ilhas Canárias, afirmaram as companhias em comunicado.

O consórcio do projeto, chamado de 2Africa, é formado pela sul-africana MTN, GlobalConnect, Facebook, pela fornecedora de infraestrutura WIOCC, China Mobile International, Orange, pela saudita stc, Telecom Egypt e Vodafone.

As novas adições para o projeto levam o cabo 2Africa para 26 países com 35 conexões.

“A maior parte da pesquisa da rota de atividade está completa. A ASN começou a fabricar o cabo e repetidores em fábricas em Calais e Greenwich para a instalação dos primeiros segmentos em 2022”, afirmaram as empresas.

O grupo espera que o cabo seja ativado até o final de 2023 e o objetivo do empreendimento é conectar África, Oriente Médio e Europa.

(Por Nqobile Dludla)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).