Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) – Uma ex-funcionária do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos que se declarou culpada de conspirar para dar a um jornalista informações confidenciais sobre o então diretor de campanha de Donald Trump Paul Manafort, entre outros, foi condenada nesta quinta-feira a seis meses de prisão. 

Natalie Mayflower Sours Edwards, uma ex-conselheira sênior da Rede de Combate a Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro (FinCEN, na sigla em inglês), foi sentenciada pelo juiz distrital Gregory Woods em Manhattan.

Edwards foi acusada de fazer revelações não autorizadas de relatórios de atividades suspeitas – utilizados por bancos para alertar as autoridades policiais sobre potenciais crimes, como por exemplo lavagem de dinheiro – para um repórter do site BuzzFeed News, utilizando um programa de mensagens criptografadas. 

Procuradores dizem que mais de 2 mil relatórios vazados no período de um ano diziam respeito a Manafort e a seu vice Rick Gates, que supervisionaram a campanha presidencial de Trump em 2016, além da embaixada da Rússia em Washington e outros indivíduos. 

Os relatórios serviram de base para artigos sobre a investigação do Procurador Especial Robert Mueller acerca da interferência da Rússia nas eleições de 2016. 

Edwards, de 43, de Quinton, na Vírginia, tentava evitar a condenação à prisão, após a acusação em outubro de 2018 e ao se declarar culpada em janeiro de 2020. 

(Reportagem adicional de Brendan McDermid)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).