O WhatsApp está recebendo reclamações na Europa por impor a nova política de privacidade aos usuários, que começou a valer em maio deste ano. Segundo um associação de consumidores europeia, a política ainda não é clara aos usuários, que não têm dimensão do impacto das mudanças para sua privacidade.

“O WhatsApp está bombardeando os usuários há meses com notificações agressivas e persistentes forçando os usuários a aceitarem os novos termos de uso e a política de privacidade. A empresa está dizendo que o acesso ao aplicativo será encerrado se não aceitarem as novas regras”, afirma Monique Goyens, diretora geral da associação.

A empresa anunciou a mudança na política de privacidade em janeiro, mas foi forçada a adiar a implementação até maio, por causa da reação dos usuários do aplicativo, que queriam entender quais os dados que seriam compartilhados com o Facebook.

A associação pede que os órgãos reguladores abram uma investigação sobre as práticas do WhatsApp e dizem que os usuários deveriam aceitar as novas regras por vontade própria e não por medo de perderem o acesso ao aplicativo.

O WhatsApp diz que as críticas são baseadas em um mal entendido a respeito da atualização das regras. A companhia afirma que a atualização “explica as opções que as pessoas têm para enviar mensagens para empresas e dá mais transparência sobre a coleta e uso de dados”. Diz ainda que a atualização não amplia a capacidade do WhatsApp de compartilhar dados com o Facebook e não impacta na privacidade das mensagens dos usuários com amigos ou família.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).