NOVA YORK (Reuters) – Países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovaram nesta terça-feira o orçamento de cerca de 6 bilhões de dólares para as 12 missões de paz da entidade no próximo ano, anunciaram diplomatas, evitando por pouco uma potencial suspensão das operações.

O comitê orçamentário da Assembleia-Geral da ONU, de 193 membros, aprovou o orçamento de missões de paz para o ano até 30 de junho de 2022. Ele será adotado formalmente pela Assembleia na quarta-feira. 

Importantes autoridades da ONU disseram na segunda-feira que as missões de paz da ONU – a maioria delas na África e no Oriente Médio – receberam orientações para elaborar planos de contingência no caso da adoção de um novo orçamento até o dia 30 de junho. 

Alguns diplomatas afirmaram que questões como mudanças nos procedimentos de negociação, problemas logísticos e discursos duros colocando a China contra países ocidentais ameaçaram um atraso nas negociações. 

“Nossa inabilidade crônica em respeitar prazos coloca a arquitetura inteira das missões de paz em um risco sem precedentes”, afirmou o diplomata da União Europeia Thibault Camelli ao comitê de orçamento na terça-feira.

“Para as futuras negociações, devemos às mulheres e homens no campo, que conduzem mandatos de paz, terminar nosso trabalho no tempo certo.”

Catherine Pollard, diretora de Estratégia, Política e Compliance da ONU, disse a jornalistas na segunda-feira que se o prazo de 30 de junho não fosse cumprido, o secretário-geral António Guterres poderia usar o dinheiro apenas para salvaguardar ativos da ONU e para garantir a proteção de equipes e de mantenedores da paz. 

Os Estados Unidos são o maior colaborador do orçamento de missões de paz, responsáveis por cerca de 28%, seguidos pela China com 15,2% e Japão com 8,5%. 

(Reportagem de Michelle Nichols)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).