A sueca Ericsson revelou nesta terça-feira um serviço de assinatura para trabalho remoto na América do Norte, que permitirá aos funcionários de pequenas empresas começarem a trabalhar de casa em minutos com acesso a aplicativos licenciados, armazenamento em nuvem e ferramentas de segurança.

A empresa, conhecida por vender equipamentos de telecomunicações para companhias telefônicas, tem se beneficiado da venda de equipamentos 5G, e agora busca diversificar em outras áreas de negócios.

Como funcionaria o serviço? Um cliente empresarial pode comprar os aplicativos em um marketplace, acessar a plataforma através de qualquer dispositivo e não precisa de um dedicado técnico de TI para configurar o sistema.

Além de ativar os funcionários em minutos, o cliente pode decidir quais trabalhadores podem ter acesso a determinados aplicativos ou recursos, disse Åsa Tamsons, chefe de tecnologia da área de negócios e novos empreendimentos. A assinatura começa em cerca de 100 dólares por mês por funcionário, disse ela.

A Ericsson se associou a várias empresas para oferecer acesso a aplicativos de negócios, como o pacote Microsoft Office para software de design gráfico baseado em nuvem.

No entanto, espera-se que a empresa enfrente a concorrência de empresas menores que oferecem produtos de trabalho remoto para gigantes da tecnologia, como a Microsoft e Cisco.

O mercado total nos EUA para espaços de trabalho virtuais é de cerca de 90 bilhões de dólares, representando aproximadamente 40% da força de trabalho, estimou a Ericsson.

A empresa disse que fez uma parceria com a distribuidora de serviços de tecnologia Telarus para vender assinaturas para sua plataforma.

A Ericsson começou a trabalhar no projeto com dois funcionários, em março de 2020, e mais tarde adicionou mais de 100 funcionários e comprou uma empresa de desktop virtual, disse Tamsons.

(Reportagem de Supantha Mukherjee)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).