A segurança de aplicativos bancários foi colocada em cheque na semana passada com a notícia do golpe do roubo do celular. Segundo a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), uma quadrilha estaria roubando celulares com o intuito de capturar senhas e realizar fraudes bancárias. Vítimas chegaram a perder até R$39.000. Diante dos relatos e após ser acionada pelo Procon, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) declarou nesta segunda-feira (21) que não existe qualquer registro de violação da segurança de aplicativos bancários.

Como funciona o golpe? Geralmente, os roubos acontecem em vias públicas enquanto as pessoas utilizam o celular. Dessa forma, os criminosos têm acesso ao aparelho já desbloqueado e, a partir daí, buscam por senhas eventualmente armazenadas pelos próprios usuários em aplicativos e sites. De posse dessas informações, os assaltantes tentam ingressar no aplicativo do banco. As quadrilhas chegaram a acessar mesmo os aplicativos com senhas de reconhecimento facial, biometria e chaves numéricas.

Como agiu o Procon? O Procon-SP notificou 14 empresas e associações bancárias na última sexta-feira (18), pedindo explicações sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo.

O que declarou a Febraban? Em nota, a Febraban esclareceu que os aplicativos dos bancos contam com o máximo de segurança em todas as suas etapas, desde o seu desenvolvimento até a sua utilização. Além disso, frisou que para que os aplicativos bancários sejam utilizados, há a obrigatoriedade do uso da senha pessoal do cliente.

Então, como se proteger? De acordo com a Febraban, para se proteger desse golpe, é fundamental que os clientes adotem os seguintes cuidados:

  • Usar sempre o procedimento de bloqueio da tela de início do celular.
  • Nunca utilizar o recurso de “lembrar/salvar senha” em navegadores e sites.
  • Jamais anotar senhas de acesso ao banco em blocos de notas, e-mails, mensagens de WhatsApp ou outros locais em seu celular.
  • Não repetir a senha utilizada para acesso ao seu banco para uso em quaisquer outros aplicativos, sites de compras ou serviços na internet.
  • Jamais anotar a senha, memorize-a para o uso.

Adicionalmente, sempre que seu celular for roubado, o cliente deverá:

  • Notificar imediatamente o seu banco para que as medidas adicionais de segurança sejam adotadas, especialmente o bloqueio do app do banco e senha de acesso.
  • Avisar à operadora de telefonia para o bloqueio imediato da linha.
  • Registrar o Boletim de Ocorrência junto à autoridade policial.
Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).