Por Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) – A Cnova NV, braço de comércio eletrônico do varejista francês Casino, informou que decidiu adiar um plano anterior para levantar capital e não poderia mais confirmar a projeção financeira dada em junho devido às condições desafiadoras de negócios no terceiro trimestre.

Em junho, a Cnova revelou planos de levantar cerca de 300 milhões de euros até o final do ano com a venda de novas ações, para financiar o crescimento e aumentar sua proporção de ações livremente negociáveis.

“Em um mercado tímido do terceiro trimestre, confirmamos nosso posicionamento relevante com uma plataforma de comércio eletrônico forte, que se beneficia de uma base crescente de clientes fiéis e da aceleração de nossas soluções de marketing digital”, disse o presidente-executivo da Cnova, Emmanuel Grenier.

“Nesse mercado fraco, lançamos várias ações para manter nossa dinâmica de crescimento. Diante dessa situação, a Cnova não está mais em posição de confirmar seu guidance divulgado em junho”, acrescentou Grenier.

Em junho, a Cnova disse que tinha como meta um Ebitda de 160 milhões de euros para 2021, um aumento de 20% em relação a 2020.

O site Cdiscount, da Cnova, concorre com grupos internacionais como Amazon na França, com uma plataforma no estilo marketplaces que conecta compradores a fornecedores terceirizados de produtos domésticos, equipamentos eletrônicos e brinquedos.

Durante o terceiro trimestre, a Cnova registrou um aumento de 7,5% na métrica de vendas GMV em um mercado fraco, que atribuiu em parte à reabertura de lojas físicas à medida que as restrições de Covid diminuíram. Isso a forçou notavelmente a aumentar sua competitividade de preços.

A Cdiscount é totalmente controlada pela Cnova, que por sua vez é controlada pelo Casino, que detém participação de 65%. O brasileiro GPA, controlado pelo Casino Grupo, detém 34% na Cnova.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).