Por Brenda Goh

XANGAI (Reuters) – A China pedirá aos usuários menores de idade que enviem dados pessoais de seus responsáveis legais, uma vez que pretende revisar as regras para registrar contas online com nomes reais, e exigirá mais confirmações de verificação por plataformas, disse o órgão fiscalizador da internet chinesa na terça-feira.

Em sua conta oficial do WeChat, a Administração do Ciberespaço da China disse que as revisões de seus regulamentos de 2015 surgem na esteira de leis para proteger a privacidade de dados pessoais, como a que entra em vigor em 1º de novembro.

O órgão definiu um prazo final em 10 de novembro para comentários públicos sobre as mudanças preliminares, que acontecem no momento em que Pequim intensifica a supervisão das empresas de internet, que criticou por violar os direitos do consumidor até alimentar o vício do jogo entre os jovens.

O órgão fiscalizador disse que as plataformas de internet devem melhorar os procedimentos de autenticação, buscando informações adicionais dos registrantes, como números de telefones celulares e detalhes de residência, além de reforçar a segurança dos dados pessoais armazenados.

Eles também precisarão buscar detalhes de licenças ou qualificações profissionais de quem se inscreve para fornecer serviços de notícias online, ou conteúdo relacionado a áreas como educação ou saúde.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).