Por Giulia Paravicini e Michelle Nichols

ADIS ABEBA/NOVA YORK (Reuters) – Uma análise de agências da Organização das Nações Unidas (ONU) e de grupos humanitários estima que cerca de 350 mil pessoas de Tigré, região etíope arrasada por um conflito, estão passando fome, de acordo com um documento interno da ONU visto pela Reuters na quarta-feira e posteriormente divulgado nesta quinta.

O governo da Etiópia questiona a análise da Classificação Integrada de Fase de Segurança Alimentar (IPC), de acordo com as notas de uma reunião do Comitê Interagências Permanente (Iasc), composto pelos chefes de ao menos 18 organizações filiadas e não filiadas à ONU, sobre a situação em Tigré.

“Sobre o risco de fome, foi observado que as cifras não publicadas da análise de IPC estão sendo questionadas pelo governo etíope, principalmente as estimadas 350 mil pessoas de toda Tigré que se acredita estarem sujeitas a condições de fome IPC 5”, informou o documento de 7 de junho.

A análise descobriu que outros milhões em Tigré necessitam de “apoio urgente de alimento e agricultura/subsistência para evitar novos declínios rumo à fome”.

Um conflito entre tropas do governo e o ex-partido governista da região, a Frente de Libertação do Povo Tigré (TPLF), irrompeu em novembro.

Tropas da vizinha Eritreia também entraram na luta em apoio ao governo etíope.

A violência já matou milhares de civis e expulsou mais de 2 milhões de pessoas da região montanhosa.

(Reportagem adicional de Dawit Endeshaw)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).