TÓQUIO (Reuters) – O principal centro de vacinação contra o coronavírus da capital japonesa Tóquio começará a agendar a imunização de pessoas de menos de 65 anos a partir de sábado, noticiou a mídia nesta quinta-feira, já que está acelerando os esforços de inoculação antes da abertura da Olimpíada no mês que vem.

O Japão começou a vacinar trabalhadores de saúde da linha de frente e idosos em fevereiro, mas o ritmo lento na comparação com outras grandes nações industrializadas provoca clamores para que os Jogos de Tóquio sejam adiados novamente ou cancelados.

Oferecer vacinações à maioria dos cidadãos pode ajudar o governo a amenizar o temor de que o país está despreparado para acolher dezenas de milhares de atletas estrangeiros e autoridades olímpicas no momento em que seu sistema de saúde passa apertos com uma quarta onda de infecções.

As vacinações foram delegadas em grande parte a autoridades de saúde municipais, e algumas cidades grandes e pequenas estão imunizando seus moradores mais rápido do que outras.

O centro de vacinação de Tóquio também começará a aceitar agendamentos por telefone pela primeira vez a partir de sábado, além das marcações virtuais, na tentativa de incentivar mais pessoas a se vacinarem, noticiou o jornal Sankei.

Uma porta-voz do Ministério da Defesa, que opera o site, não quis comentar pelo telefone e não respondeu de imediato a um email.

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, disse na quarta-feira que o país pretende terminar de vacinar todos que o queiram até outubro ou novembro –o que pode exigir cerca de um milhão de injeções por dia.

“Quero explicar ao G7 nossas medidas para enfrentar as infecções e nossa intenção de realizar Jogos seguros e protegidos e obter sua compreensão”, disse Suga aos repórteres ao deixar sua residência de Tóquio para embarcar rumo a uma reunião do G7 no Reino Unido.

Faltando menos de 50 dias para o início da Olimpíada, o Japão só vacinou pouco mais de um décimo da população com ao menos uma dose.

Ainda neste mês, os organizadores decidirão se permitirão que os japoneses assistam às competições. Os espectadores estrangeiros estão proibidos.

Os Jogos se tornaram uma grande questão política para o governo, dada a oposição pública generalizada à sua realização durante a pandemia.

As apostas financeiras também são altas: os organizadores estimam que o custo da Olimpíada será de mais de 15 bilhões de dólares, incluindo os 3 bilhões resultantes do adiamento do ano passado.

(Por Tim Kelly)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).