Depois de dar ao cliente a possibilidade de escolher por conta própria onde investir seu dinheiro – entre CDBs, previdência, renda variável e fundos no Brasil e no exterior –, o C6 Bank lançou hoje um serviço que usa tecnologia para ajudar o usuário a diversificar seus investimentos.

Batizado de C6 TechInvest, o serviço dispensa a necessidade de intervenção humana ao sugerir, sem o intermédio de consultores ou conflito de interesses, uma carteira customizada com ativos do Brasil e do exterior, de renda fixa a metais preciosos.

O serviço foi pensado para atender todos os investidores, desde aqueles que já sabem investir até os que estão em fase de aprendizado e buscam conhecer produtos de investimento mais rentáveis que a poupança, por exemplo.

“Além de resolver o problema do conflito de interesses, o C6 TechInvest descomplica o processo de escolha de produtos de investimento e democratiza o acesso a ativos antes oferecidos apenas aos clientes de alta renda dos bancos”, diz Romildo Valente, head de investimentos do C6 Bank.

O que tem dentro dessas carteiras? O C6 TechInvest sugere carteiras com base em grandes classes de ativos. Na categoria renda variável, o serviço oferece o Ibovespa, que indica o desempenho da brasileira B3, o S&P 500, que agrupa as 500 maiores empresas das bolsas americanas (Nasdaq e NYSE), e o Nasdaq 100, que contempla as 100 maiores companhias listadas na segunda maior bolsa de valores do mundo.

Na seção renda fixa, dividida em ativos brasileiros e americanos, há papéis atrelados à inflação e juros prefixados do Brasil e títulos do Tesouro dos Estados Unidos. Já na categoria metais preciosos, o C6 TechInvest oferece prata e ouro.

Como fazer para iniciar uma carteira? O processo todo de criação da carteira leva poucos segundos. Após o cadastro inicial, o app já apresenta a carteira recomendada ao cliente, que pode, a partir daí, personalizar sua composição, caso queira excluir ou incluir algum ativo, e definir a relação de risco e retorno desejada.

É possível iniciar uma carteira a partir de um investimento de R$ 1 mil, e a taxa de administração é de 0,7% ao ano.

O C6 TechInvest foi criado pelo próprio C6 Bank. O banco contou com a consultoria de pesquisadores de Columbia e Stanford para elaborar o ferramental teórico da composição das carteiras e montou, nos últimos nove meses, um time de especialistas em investimentos que selecionou os melhores produtos para o serviço.

As carteiras recomendadas pelo C6 TechInvest têm uma vantagem importante – elas são diversificadas, um fator relevante quando se pensa em proteger os investimentos das oscilações do mercado.

Para quem o TechInvest é indicado? A ideia do C6 TechInvest é resolver os problemas mais típicos dos investidores. “Ele é ideal para quem não quer perder tempo escolhendo sozinho produtos de investimentos, para quem acha que está pagando caro demais para investir e para quem quer investir fora do Brasil, mas acha complicado”, diz Valente.

O serviço, que será totalmente administrado pelo C6 Bank, atende também o usuário que não tem tempo para acompanhar o vaivém do mundo dos investimentos – o banco balanceia a carteira conforme os movimentos do mercado.

É uma opção ainda para quem não quer ter de usar vários apps para gerir sua vida financeira, uma vez que a plataforma de investimentos do banco está no mesmo aplicativo em que o cliente já tem sua conta corrente.

O C6 TechInvest chega para engrossar o leque de opções oferecidas na marketplace de investimentos do C6 Bank. A plataforma permite investir em renda fixa, renda variável e fundos, tanto do Brasil quanto internacionais.

Desde o início do ano, clientes do C6 Bank podem investir diretamente no exterior por meio da Conta Global de Investimentos, que dá acesso a fundos internacionais e produtos de renda fixa mais sofisticados, como os bonds americanos. Para o futuro, estão previstas outras novidades para a diversificação da plataforma.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).