BUENOS AIRES (Reuters) – O governo argentino aprovou nesta sexta-feira o uso emergencial da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Cansino Biologics Inc, conforme o país sul-americano é atingido por uma segunda onda da doença e as autoridades buscam acelerar sua campanha de vacinação.

A Argentina, com cerca de 45 milhões de habitantes, soma quase 85 mil mortes pela doença e 4,1 milhões de casos. Nos últimos meses, o ritmo de embarques de vacinas para o país sul-americano se acelerou e, segundo dados oficiais, foram distribuídas 17,9 milhões de doses.

“A ministra da Saúde @carlavizzotti (Carla Vizzotti) assinou a Resolução 2021-1671 que autoriza o uso emergencial da vacina Convidecia da empresa Cansino Biologics INC”, informou a pasta da Saúde argentina por meio de sua conta no Twitter.

“O acordo de 5,4 milhões de doses (da empresa chinesa) avança em função da disponibilidade”, acrescentou o ministério.

Até o momento, foram aplicadas na Argentina as doses da vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya russo, a vacina da farmacêutica chinesa Sinopharm e a vacina desenvolvida em conjunto pela AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

(Reportagem de Marta López e Maximilian Heath)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).