A Apple apresenta, próxima terça-feira (15), em evento virtual, a sua nova linha de produtos. A surpresa é a exclusão de seu mais popular aparelho, o iPhone.

O que esperar do maior evento do ano da Apple? O lançamento de um novo iPad e Apple Watches, que coincidirá ao lançamento do iOS 14, iPadOS 14 e atualizações de software watchOS 7 este mês. A empresa também está se preparando para anunciar os pacotes de serviços Apple One.
A seguir, os principais destaques por produto.

Apple Watch

A gigante de tecnologia vai estrear um Apple Watch, provavelmente chamado de Série 6, com recursos como um processador mais rápido e um medidor de oxigênio no sangue, de acordo com pessoas familiarizadas com o produto. O novo relógio virá nos mesmos tamanhos de 40 mm e 44 mm dos modelos atuais. A empresa também está planejando um novo modelo de baixo custo para ajudar a evitar ofertas mais baratas de rivais como a Fitbit.

O Apple Watch se tornou um dos dispositivos mais vendidos da empresa. O segmento de ‘wearables’ gerou receita de US $ 24,5 bilhões em 2019, quase o dobro de dois anos antes.

O Apple Watch foi atualizado pela última vez em setembro de 2019, quando a empresa adicionou uma tela que fica sempre acesa. Este ano será a primeira vez desde 2016 que dois novos modelos serão lançados de uma vez.

iPhone

O evento da Apple também será notável pelo que não será revelado: novos iPhones. A pandemia Covid-19 interrompeu os testes finais de novos modelos 5G no início deste ano e atrasou a capacidade da empresa de iniciar a produção em massa. A Apple agora planeja anunciar seus quatro novos iPhones em outubro, marcando o mais tardio anúncio do iPhone desde 2011.

Com um anúncio em outubro, a Apple perderá as habituais duas semanas de receita com o novo iPhone no quarto trimestre fiscal, que termina neste mês, junto com algumas semanas de vendas no importante trimestre do feriado. Isso pode levar o aumento da receita típica do iPhone no fim do ano até 2021. Uma porta-voz da Apple não quis comentar.

iPad Air

Para terça-feira, a Apple também está preparando sua primeira atualização para o iPad Air desde o relançamento da linha em março de 2019. O novo modelo será semelhante ao iPad Pro, substituindo o botão home por uma aparência de tela inteira. Ele usará um processador mais lento e não terá alguns recursos, como a tela ProMotion do iPad Pro.

Um novo iPad intermediário pode continuar a impulsionar as vendas da Apple à medida que os consumidores procuram dispositivos para ajudá-los a trabalhar e aprender em casa. O atual iPad Air custa US $ 499, muito menos que o preço de US $ 799 do iPad Pro. Um tablet que se parece com o iPad Pro, mas com um preço muito mais baixo, pode fazer do novo iPad Air um sucesso de vendas nas festas de fim de ano.

No terceiro trimestre fiscal deste ano, a Apple faturou US$ 6,6 bilhões em vendas do iPad, o maior valor desde a temporada de festas de 2018.

E os outros produtos?

Em novembro, a empresa planeja anunciar novos computadores Mac com seus próprios chips. Os primeiros fones de ouvido e um acessório para localização de itens físicos da Apple devem ser lançados no final deste ano.

A Apple também está trabalhando em um alto-falante HomePod menor que se parece com o original, mas é mais barato e tem menos alto-falantes, disseram pessoas familiarizadas com o produto. No início deste ano, a Apple anunciou que atualizaria o software do HomePod com integração aprimorada com o set-top box da Apple TV e suporte para serviços de música de terceiros.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.