Por Sudipto Ganguly

(Reuters) – Roger Federer diz que viu “avanço e nenhum contratempo” desde que voltou ao circuito, em março, depois de mais de um ano afastado devido a duas operações no joelho, e agora que a temporada de grama começa na semana que vem em Halle, é “hora de ir com tudo”.

Inicialmente, Federer planejou um retorno no Aberto da Austrália de 2021, um ano depois de ser eliminado do Grand Slam nas semifinais, mas o progresso lento na recuperação adiou sua reestreia.

Ele disputou sua primeira partida no ATP 250 de Doha, mas disse que almeja estar em plena forma para a temporada de grama e chegar ao auge em Wimbledon, onde conquistou oito de seus 20 títulos de Grand Slam.

“Eu provavelmente teria assumido o lugar em que estou hoje”, disse o tenista de 39 anos, que desistiu de continuar em Roland Garros na semana passada para proteger o físico após uma vitória extenuante na terceira rodada, aos repórteres nesta sexta-feira.

“Março ainda era cedo demais para minha volta, mas senti que era um bom momento para voltar. Achei que Doha na verdade foi extremamente bem no geral, porque sei que minhas expectativas eram quase zero lá. Então estou contente de ter podido disputar duas partidas competitivas lá.”

“Desde então, só vi avanço, nenhum contratempo. Acho que, depois das duas operações, tenho que ser extremamente cauteloso com cada movimento que faço. Mas agora é hora de ir com tudo. Essencialmente, espero que seja aqui que a temporada realmente comece para mim”.

Desde que desistiu de Roland Garros, Federer bateu bola pela primeira vez na quinta-feira treinando para o ATP 500 de Halle, onde já conquistou 10 títulos.

(Por Sudipto Ganguly em Berhampore, Índia)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).