O leilão de espectro para redes 5G no Brasil neste ano deve resultar em investimentos de 33 bilhões a 35 bilhões de reais, afirmou nesta sexta-feira o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), referindo-se a cálculos preliminares, que não consideram as contrapartidas no certame.

A Anatel aprovou na véspera as regras para um leilão de espectro para redes 5G neste ano, sem restrições para a chinesa Huawei como fornecedora de equipamentos.

Ainda citando dados preliminares, Morais disse que os custos de contrapartida incluem 2,6 bilhões de reais para conexão em estradas; 2,5 bilhões em infraestrutura de fibra óptica backbone; 1,5 bilhão para conexão de fibra na região Norte e 1 bilhão para rede privada móvel.

“Estamos refinando esses dados”, afirmou o presidente da Anatel, acrescentando ainda que o valores para atendimento de 14 mil localidades com pelo menos 600 mil habitantes ainda estão sendo calculados.

O ministro de Comunicações, Fabio Faria, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro terá a palavra final sobre o leilão, mas que a portaria relacionada ao certame foi alinhada com os ministros. Ele também confirmou que as empresas vão escolher seus fornecedores.

O governo, segundo ele, focou na garantia de segurança dos fornecedores da rede privada a ser construída pelos vencedores do 5G para o governo federal.

Por Lisandra Paraguassu

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).