Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) – A Amazon está processando os reguladores antitruste da União Europeia por permitirem que o órgão de fiscalização da concorrência da Itália levasse a cabo seu próprio caso contra a gigante do varejo online sobre a forma como a companhia seleciona os vendedores de seu marketplace. Para a empresa, isso deveria fazer parte de uma investigação do bloco de países.

A Amazon levou o caso ao Tribunal Geral de Luxemburgo, o segundo mais alto da Europa pedindo que anule a decisão da UE de excluir a Itália da investigação mais ampla.

A mudança ocorreu dois meses depois que a Comissão Europeia abriu uma investigação sobre os critérios que a empresa usa para selecionar os vencedores de sua “caixa de compra”, que permite aos clientes adicionarem itens de um varejista específico diretamente em seus carrinhos de compras.

A investigação também examinará se a empresa dá tratamento preferencial às suas próprias ofertas de varejo e vendedores do marketplace que usam seus serviços de logística e entrega.

O caso italiano foi aberto em 2019 sobre a mesma questão, mas se concentra nos mercados de logística italianos.

A Amazon disse que a UE deveria absorver o caso italiano por uma questão de consistência e eficiência.

“Quando a Comissão Europeia decide investigar um assunto, a lei europeia diz que as autoridades nacionais de concorrência não podem investigar o mesmo assunto. Isso não ocorreu neste caso, já que a decisão de abertura da Comissão tenta excluir a Itália”, disse a Amazon.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).