A estratégia da Amazon de oferecer um número crescente de serviços e acesso a conteúdo para ampliar a sua base de consumidores e a frequência de uso de seus serviços se mostra cada vez mais bem-sucedida. A empresa americana superou a marca de 150 milhões de assinantes no mundo do seu serviço Prime no quarto trimestre de 2019.

Dois anos atrás, o número de assinantes do Prime estava na casa de 100 milhões.

E o Brasil teve direito a uma menção honrosa: o país teve o mais rápido ritmo de crescimento do serviço já registrado na história da companhia, segundo a divulgação dos seus resultados nesta quinta-feira (dia 30), depois do fechamento dos mercados americanos.

O que mais foi falado sobre o Brasil? A Amazon passou a oferecer o serviço Prime no dia 10 de setembro no país e foi esse período de pouco mais de três meses que serviu como referência para o crescimento recorde no número de assinantes pagantes.

A empresa disse que mantém a estratégia de incluir milhares de itens a mais de entrega no serviço gratuito e lembrou que abriu em dezembro o seu quarto centro de distribuição de produtos no país, para dar conta da demanda crescente.

Além disso, a Amazon disse que colocará quatro produções originais produzidas no país no seu serviço de streaming Prime Video, incluindo o título “Tudo ou Nada”, sobre a seleção brasileira de futebol.

Quais os números do Prime? A Amazon não abriu a quantidade de assinantes por países, só o número global citado acima.

Nos últimos três meses de 2019, a empresa com sede em Seattle mais do que quadruplicou o número de produtos entregues em um dia de forma gratuita e no mesmo dia em pedidos dentro dos Estados Unidos. A Amazon passou a oferecer no país o serviço de entrega gratuita, em até 2 horas, de alimentos comprados pelo Amazon Fresh e pela Whole Foods, a rede de supermercados de alimentos naturais adquirida há dois anos e meio.

O número de horas assistidas de séries produzidas pela Amazon e de filmes disponíveis no Prime Video dobrou na comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

O que disse a empresa sobre a expansão? “O serviço Prime continua a ficar melhor para os consumidores ano após ano. E eles estão respondendo: mais pessoas entraram para o Prime no trimestre do que em qualquer trimestre anterior”, disse em comunicado ao mercado o fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos.

Afinal, o que o Prime oferece? No Brasil, a assinatura do serviço por R$ 9,90 ao mês proporciona ao consumidor o direito de ter frete grátis em entregas a partir de 2 dias, o acesso ao Prime Video, à Amazon Music, o streaming de música, e a centenas de livros e revistas pelo Kindle.

Quais os demais destaques dos resultados? A gigante de tecnologia manteve um ritmo forte de crescimento na casa de 20% em muitas métricas financeiras. Veja abaixo os principais números:

  • As vendas líquidas subiram 21% no quarto trimestre, para US$ 87,4 bilhões, ante o mesmo período de 2018. Estimativas de mercado apontavam vendas de US$ 86 bilhões para o período.
  • O lucro líquido foi de US$ 3,3 bilhões (ou US$ 6,47 por ação) no quarto trimestre, acima dos US$ 3 bilhões (US$ 6,04 por ação) no mesmo período um ano antes.
  • As receitas da AWS (Amazon Web Services), que é o lucrativo serviço de computação na nuvem da Amazon, totalizaram US$ 9,95 bilhões nos três meses finais de 2019, uma alta de 34%.
  • As ações da Amazon passaram a subir mais de 10% no “after market” da Nasdaq com a divulgação dos resultados.

O que vem por aí em 2020 para a Amazon? Bezos destacou que a Amazon está ampliando as parcerias tanto para o Prime como para a Alexa, que é a assistente de voz da companhia. A Alexa estará integrada a modelos da FCA (Fiat Chrysler) e da Lamborghini e passou a permitir utilidades como lembretes da hora de tomar remédios, o pagamento de contas de serviços públicos (como água e luz) e a compra de combustíveis em postos.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).