A FCC (sigla em inglês para Agência Federal de Comunicações) dos Estados Unidos designou formalmente as gigantes chinesas Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional, uma declaração que impede empresas norte-americanas de usarem um fundo governamental de US$ 8,3 bilhões para comprar equipamentos delas.

O órgão regulador de telecomunicações dos EUA aprovou em novembro proposta para classificar as duas empresas chinesas como ameaças ao país e também propôs que as operadoras rurais removessem e substituíssem equipamentos de Huawei e ZTE.

“Não podemos e não permitiremos que o Partido Comunista chinês explore vulnerabilidades de rede e comprometa nossa infraestrutura crítica de comunicações”, disse o presidente da FCC, Ajit Pai, em comunicado nesta terça-feira.

Huawei e ZTE não comentaram o assunt de imediato, mas anteriormente criticaram fortemente as ações da FCC.

O comissário da FCC Geoffrey Starks disse nesta terça-feira que “equipamentos não confiáveis” permanecem em funcionamento nas redes norte-americanas e disse que o Congresso dos EUA deve alocar financiamento para que as substituições dos equipamentos sejam feitas.

Em maio de 2019, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma decreto estabelecendo emergência nacional e impedindo as empresas do país de usarem equipamentos de telecomunicações produzidos por empresas que representem risco à segurança nacional. O governo Trump também adicionou a Huawei à lista negra comercial dos EUA no ano passado.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.