Por Elvira Pollina e Andrea Mandala

MILÃO (Reuters) – As ações da Telecom Italia (TIM) caíam nesta segunda-feira devido à crescente incerteza sobre uma abordagem de compra de 37 bilhões de dólares pelo fundo americano KKR.

Por volta de 12h (horário de Brasília), a ação da companhia italiana caía cerca de 3%.

Após receber a proposta da KKR em 19 de novembro e perder seu quarto presidente-executivo em seis anos, a TIM não conseguiu na semana passada progresso em relação ao que seria o maior acordo de compra de private equity da Europa.

Fontes disseram que a nova governança instituída é precária e dificulta a tomada de decisões.

Depois que o presidente Luigi Gubitosi perdeu um confronto com o principal investidor da TIM, Vivendi, o gerente sênior Pietro Labriola foi promovido a gerente geral, mas um novo presidente não pode ser nomeado até que Gubitosi ou outro diretor desocupe um assento no conselho.

A Vivendi, que não quis comentar, disse no domingo estar aberta a entregar o controle da rede fixa da TIM se o grupo se desfizer de seu ativo mais valioso. No passado, exigia que a TIM mantivesse a participação majoritária.

A imprensa italiana mencionou no fim de semana uma reunião entre a Vivendi e o investidor estatal CDP, segundo maior acionista da TIM, sobre um possível plano alternativo ao do KKR.

A Vivendi enfrentaria grande perda em sua fatia de 24% na TIM, com base no preço de 0,505 euro por ação oferecido pela KKR. O fundo dos EUA disse que o preço é apenas indicativo e pediu acesso aos memorandos da TIM antes de uma oferta formal.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).