TAIPEI (Reuters) – A escassez global de chips para alguns produtos está começando a diminuir e será mais branda na segunda metade do ano, disse nesta terça-feira um executivo sênior da Acer, quinta maior fornecedora de PCs do mundo em remessas.

Entre atrasos nas entregas de carros a uma carência no fornecimento de eletrodomésticos e smartphones, empresas e consumidores em todo o mundo estão enfrentando o impacto de uma falta sem precedentes de semicondutores.

Andrew Hou, presidente da Acer para Operações Pan-Ásia-Pacífico, disse a repórteres em Taipei que, desde que o problema se tornou evidente, no quarto trimestre do ano passado, uma cadeia de fornecedores “entrou em ação” enquanto os produtores trabalham para resolver o problema.

Hou afirmou que a situação no segundo semestre do ano será melhor do que agora, “É essa tendência que estamos vendo no momento”, disse.

A escassez de semicondutores que ameaça os estoques de chips mundialmente ocorreu por uma confluência de causas. Os consumidores estocaram laptops, consoles de games e outros produtos eletrônicos durante a pandemia de Covid-19, além de terem comprado mais carros do que os funcionários da indústria esperavam, exigindo muitos suprimentos.

Hou disse que as vendas em sua região, que exclui a China, estão crescendo à medida que empresas e governos procuram laptops para ajudar as pessoas a estudar e trabalhar em casa. “O que está faltando não são os chips de ponta – são aqueles com os quais as pessoas há muito tempo não se importavam”, acrescentou.

(Reportagem de Ben Blanchard)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).