PEQUIM (Reuters) – O presidente da China, Xi Jinping, visitou a Região Autônoma do Tibete em 21 e 22 de julho, segundo a agência de notícias oficial Xinhua, em sua primeira visita registrada como líder da nação e a primeira visita ao Tibete pelo líder do país em três décadas.

A visita de Xi chega em um momento no qual a China encara tensões maiores em conflitos com a Índia e após a retirada das tropas lideradas pelos EUA do Afeganistão.

Xi voou para a cidade de Nyingchi na quarta-feira e pegou um trem para a capital do Tibete, Lhasa, no dia seguinte, ao longo de uma seção da ferrovia de alta elevação que está sendo construída para ligar a região montanhosa na fronteira com a província de Sichuan.

Em Lhasa, Xi visitou um mosteiro e a praça do Palácio de Potala e “inspecionou o trabalho de religião étnica” e a “proteção do patrimônio cultural tibetano”, segundo a Xinhua.

O palácio é a casa tradicional do líder espiritual do Budismo tibetano, o Dalai Lama, que está em exílio e foi considerado um separatista perigoso por Pequim.

Na fronteira da China com a Índia, o Tibete é visto como um local de importância estratégica crítica para Pequim. Ano passado, China e Índia testemunharam os conflitos mais sérios em décadas na fronteira do Himalaia, com mortes nos dois lados.

Xi esteve no Tibete pela última vez em 2011, quando era vice-presidente.

(Por Gabriel Crossley)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).